Senna faria 60 anos: veja os recordes do lendário piloto que ainda resistem

3
Compartilhar

Tricampeão mundial de Fórmula 1, o piloto brasileiro Ayrton Senna da Silva completaria 60 anos neste dia 21 de março. Morto há quase 26 anos em um acidente durante o GP de San Marino de 1994, disputado no circuito de Ímola, o ídolo ainda detém recordes na principal categoria do automobilismo mundial.

Último brasileiro a conquistar um título da cultuada categoria, Senna até hoje é uma referência histórica para o país na F-1, disputa que sequer tem pilotos do Brasil em seu grid atualmente. As marcas que listamos a seguir são gerais e não foram superadas ainda por qualquer outro piloto. No entanto, Ayrton também guarda recordes nacionais: é o brasileiro com mais vitórias (41, contra 23 de Nelson Piquet), pódios (80, contra 68 de Rubens Barrichello), e poles (65, contra 24 de Piquet).

O “Rei de Mônaco”
Entre as marcas que resistem há quase três décadas, está o título de maior vencedor da história do circuito de Mônaco. As seis corridas vencidas por Senna no Principado seguem sendo um feito único na Fórmula 1.

A segunda colocação no ranking é dividida pelo britânico Graham Hill (1929-1975) e o alemão Michael Schumacher, com cinco cada. O francês Alain Prost aparece na sequência, com quatro triunfos. Entre os pilotos que ainda estão em atividade, o mais próximo é Lewis Hamilton, que venceu três vezes em Mônaco – ou seja, metade das vitórias de Senna.

O título de “Rei de Mônaco” foi obtido de vez por Senna em 1993, quando ele venceu pela sexta e última vez nas ruas de Montecarlo. Correndo pela McLaren-Ford, ele superou mais uma vez a equipe que era a mais poderosa do grid na época, a Williams-Renault, e ultrapassou definitivamente Graham Hill no ranking de maiores vencedores do circuito. E foi com requintes históricos: o segundo colocado foi justamente o filho do ex-recordista, o piloto Damon Hill, que corria pela Williams.

Depois disso, foi Schumacher quem mais teve condições de superar Senna. Depois de vencer em Mônaco em duas temporadas com a Benetton (1994 e 1995, quando ganhou também seus dois primeiros títulos mundiais), o piloto alemão levou a Ferrari ao topo do pódio no Principado em 1997, 1999 e 2001. Teve domínio absoluto sobre a Fórmula 1 por mais três temporadas depois disso, mas nunca mais conseguiu vencer em Montecarlo.

Recorde de poles consecutivas
Segundo o site Stats F1, Ayrton Senna ainda é o detentor do recorde de pole positions consecutivas na Fórmula 1. Foram oito entre o GP da Espanha de 1988 e a prova dos Estados Unidos, em 1989. O segundo lugar também é do brasileiro. Foram outras sete em sequência entre o GP da Espanha de 1990 e a corrida de Mônaco em 1991.

Empataram com Senna neste quesito o francês Alain Prost (entre GPs da África do Sul e Canadá, em 1993), o alemão Michael Schumacher (do GP da Itália de 2000 ao GP do Brasil de 2001), e o britânico Lewis Hamilton (entre as corridas de Mônaco e Itália, em 2015).

Senna ainda teve duas outras sequências de seis poles, entre os GPs do Brasil e dos Estados Unidos de 1988, e entre Bélgica e Austrália, no ano seguinte.

O brasileiro só perdeu o título de maior pole da história da Fórmula 1 em 2006, quando Schumacher conquistou a liderança do grid pela 66ª vez no GP de San Marino, em Ímola. Senna caiu para o terceiro lugar em 2017, quando Hamilton conquistou a 66ª pole de sua carreira no Azerbaijão. Atualmente, o piloto da Mercedes já tem 88 e é recordista absoluto.

Sequência de primeiras filas
Ninguém ainda conseguiu superar um outro recorde de Senna que já dura mais de 30 anos. É o de primeiras filas consecutivas. Ou seja, a quantidade de vezes seguidas em que um piloto largou na pole ou na segunda colocação do grid. O brasileiro estabeleceu a marca que ainda vigora ao largar na primeira fila em 24 GPs seguidos entre as corridas da Alemanha, em 1988, e da Austrália, em 1989, dados também do Stats F1.

Quem mais chegou perto disso foi o britânico Lewis Hamilton. Correndo já pela Mercedes, o atual hexacampeão mundial fez 20 corridas seguidas na primeira fila entre os GPs da Bélgica de 2014 e da Itália de 2015. Depois dele, o terceiro colocado no ranking é Damon Hill, que fez 17 GPs em sequência largando nessa condição, entre a etapa da Austrália de 1995 e do Japão, em 1996.

Tem recorde dividido com Hamilton
Ayrton Senna ainda ocupa a liderança no ranking de vitórias de ponta a ponta na Fórmula 1. Foram 19 em sua carreira, mesmo número de Lewis Hamilton. Porém, a categoria sempre considera para fins de recorde o primeiro que atingiu a marca, forçando o “desafiante” a ultrapassá-la. Hamilton fez sua 19ª vitória liderando do início ao fim nos Emirados Árabes, em 2019. Pode ultrapassar o brasileiro nas próximas etapas a serem disputadas, mas o recorde ainda é do brasileiro.

O tricampeão mundial conseguiu sua primeira vitória de ponta a ponta naquela que foi também a sua primeira vitória da carreira, no GP de Portugal de 1985, pilotando a Lotus.

A última vez com liderança contínua em toda a corrida veio no GP da Austrália de 1991, quando Senna já era o campeão daquela temporada desde a etapa disputada no Japão. Essa corrida acabou tendo apenas 14 voltas até ser suspensa por causa de uma chuva muito forte que caiu sobre o circuito de Adelaide, e acabou valendo somente metade dos pontos.

Fonte: Folhapress

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *