Setor de serviços é a atividade mais atingida pela pandemia, aponta Fecomercio

0
Compartilhar

Dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE apontou variação de -17,5% no Volume de Serviços no mês de agosto de 2020 na comparação com o mesmo mês do ano passado, no Estado do Piauí. A redução ocorreu após recuo de 25,8 % no mês de julho na mesma base de comparação. Segundo o Presidente da FECOMERCIO-PI Valdeci Cavalcante o setor serviços foi o mais afetado pelo isolamento das famílias, principalmente os serviços de transporte aéreo, serviços prestados as famílias, serviços de alojamentos e Alimentação e serviços audiovisuais. Atividades como alimentação fora de casa, hotéis e salões de beleza não voltaram a funcionar normalmente.
No acumulado de janeiro até agosto de 2020 o Volume de Serviços no Piauí mostrou retração de 17,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Neste mesmo sentido, nos últimos 12 meses também houve queda de 13,3%.

O IBGE mede também a Receita Nominal proveniente das vendas de Serviços e neste mês de agosto este índice ficou em -17,4% comparado ao mesmo mês do ano de 2019. A incerteza da data de fabricação da vacina contra o coronavírus causou a maior queda no faturamento do setor.

A Pesquisa abrange os Serviços Prestados às Famílias; Serviços de Informação e Comunicação; Serviços Profissionais, Administrativos e Complementares; Transportes, Serviços Auxiliares aos Transportes e Correio; Outros Setores.

Outro setor de serviços que voltou a piorar foi o de Transporte Rodoviário de Cargas que é responsável pela entrada dos produtos fabricados fora do Piauí, uma vez que na pandemia o Comerciante tinha muita dúvida na hora de pedir a mercadoria.

Com a moeda menos valorizada o setor de serviços vem perdendo força no segmento que depende de produtos importados. É o caso dos transportes de Aviões e Navios.
A maior queda no volume de Serviços Profissionais, Administrativos e Complementares verificou-se nos serviços técnicos-profissionais de arquitetura e engenharia.

É importante registrar que o setor Serviços ocupa a primeira classificação na composição do PIB, bem como o segmento que mais emprega no Estado. Até agosto o Piauí mantém um estoque de 134.096 vagas de emprego neste segmento, sendo que só em agosto foram admitidos 2027, embora tenha sido mandado para casa um total de 1.977.

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *