PROS articula chapa de vereadores para 2020

Desde o início do segundo semestre, as movimentações de partidos políticos são intensas para definição de pré-candidatos a vereador em Teresina. A difícil missão é encontrar o partido certo.

O fim das coligações proporcionais alterou as estratégias para eleições de vereadores em todo o Brasil, agora, os candidatos proporcionais devem concorrer em chapa pura. É o fim do benefício da carona partidária onde as candidaturas com menores votações, portanto sem chance de vitória nas coligações, serviam para favorecer apenas candidatos com grande votação.

Esses candidatos a vereador eram chamados de “bucha de canhão”, na linguagem dos políticos. Mas a lei mudou e, por incrível que parece, pode ajudar àqueles que nunca tiveram chances de serem eleitos.

A tendência é que os grandes partidos concentrem os candidatos com a maior votação – a disputa será entre os gigantes. Os partidos menores, mais leves, impõem restrições a candidatos em mandato ou com votações muito grande, para dar chance a quem está começando, que não tem gabinete ou é novo na política.

PROS se coloca como alternativa

Seguindo a estratégia, partidos não têm aceito vereadores com mandato ou com votação acima de 3.000 votos. Assim, permitem que novos protagonistas surjam e tenham verdadeiramente a chance de concorrer.

Longe dos holofotes da mídia, o PROS monta sua estratégia para 2020. A reportagem ouviu um dos pré-candidatos a vereador, Dino Parente, que nas eleições de 2016 foi candidato pelo PV e obteve 1282 votos. 

Em 2016 a votação para vereador foi concentrada nos grandes partidos diminuindo a chance para candidatos sem mandato

“Escolhi o PROS porque é um partido leve para as eleições 2020, nossa chapa de vereadores será formada por pessoas com vontade de trabalhar, que previsão de ter até 2.000 votos, e que queiram realmente ter chance de competir e de ser eleito. Eu tenho chance de concorrer no PROS que permite aos próprios candidatos participarem da estratégia de composição da chapa e tem um candidato a prefeito competitivo que estreou em 2018 e que está em terceiro, quarto lugar nas pesquisas eleitorais.”

Chance: com 1282 votos em 2016, pré-candidato acredita que pode ser eleito em chapa competitiva num partido que não permita candidatos com mandato e grande votação

Dino Parente se refere a Fábio Sérvio, ex-candidato a governador do Piauí e que assumiu o comando do PROS em Teresina. A reportagem perguntou sobre a possível candidatura de Sérvio, Dino disse: “O Fábio gosta de trabalhar em silêncio, sem alarde, mas ele e a Marilene Aguiar, os dois, têm conversado com lideranças e delegaram para os próprios pré-candidatos a construção da chapa, é bem democrático, é um processo que os pequenos podem participar e verem que tem chance, voz, e não apenas servir para eleger alguém, nós percebemos que no PROS há espaço para quem está começando”, disse o pré-candidato pelo PROS.

Dino Parente, um dos coordenadores da chapa de pré-candidatos  vereador colocou a disposição um grupo de whatsapp para esclarecer as dúvidas. Se você quer mais informações, acesse este whatsapp link:



Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *