Presidente do Banco do Nordeste recebe título de cidadão piauiense nesta segunda-feira

8
Compartilhar

Por iniciativa do deputado estadual Henrique Pires (MDB), a Assembleia Legislativa do Piauí, em sessão solene marcada para às 10h desta segunda-feira (10), concede a cidadania piauiense ao presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Romildo Carneiro Rolim.

Nomeado pelo presidente Michel Temer  em 2018, Rolim tem dedicado uma atenção especial ao Piauí, daí a iniciativa da outorga do título de cidadão piauiense, justifica o deputado Henrique Pires, no Projeto de Decreto Legislativo aprovado por unanimidade em Plenário.

Funcionário de carreira
Nomeado por decreto do então presidente da República Michel Temer, em 12 de abril de 2018, Romildo Carneiro Rolim é funcionário de carreira do Banco do Nordeste do Brasil S/A, desde 31/07/1989, quando começou no BNB trabalhando em agência, tendo ocupado cargos técnicos relacionados com atividades de análise e acompanhamento de projetos.

Gerenciou o Ambiente de Análise e Acompanhamento de Operações de Crédito, a Unidade de Recuperação de Crédito do Ceará, o Ambiente de Controles Internos e o Ambiente de Auditoria Interna do BNB. Exerceu ainda as funções de superintendente de Operações Financeiras e de Mercado de Capitais e superintendente de Reestruturação de Ativos.

Rolim é graduado em Administração de Empresas, pela Universidade Estadual do Ceará (1998) e em Ciências Contábeis, pela Universidade Federal do Ceará (1998); especialista em Gestão Empresarial pela Fundação Instituto de Administração – USP (2008); especialista em Normas e Padrões Internacionais de Auditoria Interna pela Universidade Católica de Brasília (2010); mestre em Avaliação de Políticas Públicas pela Universidade Federal do Ceará (2005).

Possui CPA 10 e CPA 20 pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Banco do Nordeste
O Banco do Nordeste fechou 2019 com R$ 41,2 bilhões em financiamentos de longo e curto prazo em toda a sua área de atuação, beneficiando setores econômicos dos estados do Nordeste, além de norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. Foram R$ 29,5 bilhões aplicados com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), destinado à redução da pobreza e das desigualdades inter e intrarregionais, em mais de 565 mil operações de crédito ao longo do ano. R$ 10,6 bilhões foram contratados via Crediamigo, programa de microcrédito produtivo e orientado do Banco do Nordeste.

Do montante aplicado no FNE, 56% foi destinada a empreendimentos localizados no semiárido nordestino. Foram R$ 16,4 bilhões que estimularam a dinâmica econômica de localidades menos favorecidas.

O Banco do Nordeste destinou R$ 3,6 bilhões para micro e pequenas empresas, em 56 mil operações de crédito contratadas, o que representou crescimento de 24,6% em relação a 2018.

O volume de crédito aplicado no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) superou a marca de R$ 3 bilhões, contabilizando cerca de 515 mil operações em 2019.

A maior parte do montante é relativa a negócios realizados por meio do programa de microcrédito rural do Banco, o Agroamigo, com o qual o BNB atingiu R$ 2,5 bilhões.

Primeiro do ranking
Em 2018, o Banco do Nordeste teve o melhor desempenho entre todos os bancos brasileiros, de acordo com estudo publicado pela revista inglesa The Banker, pertencente ao jornal The Financial Times e editada há 94 anos. O levantamento elenca os melhores bancos – por país – que pertencem ao Brics, formado pelo Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul.

O BNB foi classificado em primeiro lugar no ranking nacional, primeiro lugar em eficiência operacional, além de ficar em segundo colocado em liquidez e em alavancagem.

Fonte: Paulo Pincel/Assessoria/BNB/Parlamentopiaui.com.br/Alepi

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *