Piauí registra queda na ocupação de leitos para Covid-19

0
Compartilhar

Levantamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), nos últimos sete dias, os leitos de UTI e leitos de estabilização do estado voltados para pacientes com a Covid-19 apresentaram redução nas ocupações. Na segunda-feira (20), os leitos com respiradores, que contabilizam um total de 519, apresentaram uma ocupação de 59,92%, sendo que no dia 14 de julho esse percentual era de 62,30%.

No último dia 14, existiam 303 leitos de UTI ocupados no Piauí, enquanto que 16 dos leitos de estabilização estavam sendo utilizados. Nos números do dia 20 de julho, as UTIs registraram 298 leitos sendo utilizados e 13 leitos de estabilização ocupados. Os números mostram que na última semana houve uma redução de casos graves que necessitam de leitos para tratamentos de alta complexidade.

Para o governador Wellington Dias, a redução da ocupação dos leitos é um reflexo das ações e medidas que o Governo do Estado, por meio da Sesapi, vem tomando desde o início da pandemia. “Entre as ações, estão a ampliação do número de leitos exclusivos para o atendimento de casos da Covid-19, garantindo, assim, uma maior capacidade de atendimento para os casos que necessitarem de internação, divulgação de orientações para a população, ações como o programa Busca Ativa, entre outras medidas”, destacou o gestor.

Herlon Guimarães, superintendente de Atenção Primária à Saúde e Municípios da Sesapi, destaca que as ações da Secretaria da Saúde, com a colaboração da população que seguiu as orientações, são os principais fatores que possibilitam essa redução.

“Esses dados refletem as medidas tomadas pelo governo, além das orientações que a população vem seguindo e das melhorias que o Estado promoveu em sua rede, temos ainda alguns trabalhos que também foram implementados nesse combate à Covid-19, como o Busca Ativa. Esse programa nos permitiu, e vem permitindo, conhecer precocemente possíveis casos de pessoas infectadas e, com isso, promover o isolamento dessas pessoas e daqueles com os quais elas tiveram contato, gerando um controle da transmissão e, assim, reduzir o número de casos”, destaca o superintendente.

Herlon fala que a relação é bem simples de entender, sendo que um maior número de diagnósticos permite um isolamento mais efetivo, reduzindo a transmissão. “Além do isolamento adequado, o Busca Ativa também nos leva para a questão do diagnóstico precoce, permitindo, assim, um acompanhamento mais efetivo, o que impede que casos evoluam para quadros que necessitem de internação”, explica Guimarães.

Os números mostram ainda que a reabertura das atividades pode ser feita desde que ocorra de forma gradual e respeitando as orientações já apresentadas para a população, permitindo, assim, uma manutenção desses números ou até mesmo uma maior redução. “A estrutura atual da rede está muito boa, mas é importante que todos tenham consciência que caso não sejam seguidas as orientações de isolamento social, distanciamento social e medidas de higiene, os números podem voltar a se alterar. A flexibilização precisa ser gradual, impedindo um aumento do número de casos”, explica Ester Miranda, biomédica e responsável pelo inquérito epidemiológico do Piauí.

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, destaca que os números são o reflexo das medidas que o Estado vem adotando e que, com o trabalho em conjunto, a expectativa é de que esses números melhorem.

“Desde o início da pandemia temos feito, sob o comando do governador Wellington Dias, um esforço concentrado para dotar a rede pública estadual de saúde com uma estrutura capaz de receber a todos os piauienses que precisarem de atendimento. Nos últimos quatro meses, o Governo do Estado montou mais leitos de UTI e estabilização do que em toda a sua história, garantindo, assim, uma rede mais preparada para atender a população. Estamos trabalhando aqui para salvar vidas e, com o trabalho dos gestores e o apoio da população, podemos melhorar ainda mais a situação do nosso estado. Estamos partindo para a reabertura gradual e precisamos que todos continuem respeitando as medidas de higiene e de distanciamento social, para, assim, o povo piauiense não se coloque em risco, mas possa voltar para suas atividades”, fala Florentino Neto.

Fonte: CCOM

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *