Pesquisa diz que número de pessoas infectadas com Covid-19 cai Teresina

0
Compartilhar

A quantidade de pessoas com potencial de transmitir o novo Coronavírus em Teresina é de 12.454, uma queda de 38% quando comparada com a semana anterior, que havia registrado 20.151 infectantes. Os dados foram apresentados pelo prefeito Firmino Filho nesta quarta-feira (29) e são relativos aos resultados da 15ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada entre os dias 24 e 26 de julho na capital.

“A curva de infectantes está caindo e a tendência é seguir assim. Se observarmos os dados gerais, no período de 15 a 17 de maio tivemos 11.502 pessoas com o vírus ativo e agora temos 12.454. São números bem próximos, mas o contexto é diferente: lá em maio o total de pessoas imunes era bem menor e o vírus tinha um grande campo de indivíduos para contaminar. No momento atual, esses pouco mais de 12 mil infectantes já estão cercados por mais de 100 mil imunes que não vão pegar e transmitir o vírus”, comentou o gestor municipal.

Segundo a sondagem, 107.587 pessoas já estão imunes à Covid-19 e 77.922 estão em processo de imunização contra a doença.

“Mais da metade das pessoas que pegaram o vírus em Teresina já está imune. Assim, o vírus tem maior dificuldade de transmissão, que é o que se tem observado na nossa cidade”, apontou o prefeito.

Ele também ressaltou a queda do R0 (R-zero), a taxa de transmissão do vírus em Teresina, que ficou em 0,62 nesta etapa da pesquisa.

“Pela primeira vez o R0 fica abaixo de 1 por duas semanas consecutivas. Antes esse valor oscilava, o que é normal para uma pesquisa que trabalha estatísticas e margem de erro, mas agora observamos essa constância. Isso é mais um forte indício de que a transmissibilidade está realmente caindo”, destacou.

A quantidade total de positivados também apresentou queda. Essa semana, foram identificadas 197.963 pessoas, contra 201.768 registradas na etapa anterior da pesquisa. A pesquisa revela ainda que a quantidade de positivados é 15 vezes maior que os 13.568 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados.

“Ainda é um número alto, mas podemos observar que, ao longo das várias etapas da pesquisa, esse grau de subnotificação foi caindo. Já chegou a ser 53 vezes maior no passado e agora está em 15. Em parte, isso se deve ao aumento da capacidade de testagem na cidade”, destacou Firmino.

No que diz respeito à distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa realizada em parceria com o Instituto Opinar demonstrou que a zona Leste não apresentou nenhum caso positivado esta semana. Esta é a primeira vez que uma região da cidade aparece zerada.

“A razão disso pode ser o fato de a zona Leste ter sido a primeira a ser afetada pelo vírus. Lá atrás, muitas pessoas foram contaminadas e isso nos leva a crer que o percentual de imunes nessa região é bem maior que nas outras zonas”, comentou.

Em contrapartida, a Sul teve 62% dos infectados, o maior número registrado dentre as zonas da capital em todas as etapas da pesquisa. As regiões Norte e Sudeste aparecem com 15% e 23%, respectivamente.

Quanto a idade, nesta etapa da sondagem, mais uma vez não foi registrado nenhum caso positivo entre os maiores de 70 anos. Os grupos etários de 15 a 24 anos, 25 a 34 anos e 45 a 54 anos apresentaram o mesmo percentual de contaminados: 23%, o maior entre as idades. Em seguida, com 15%, aparecem as pessoas entre 35 a 44 anos. As crianças e adolescentes de 0 a 14 anos e adultos de 55 a 69 anos também empataram com 8% dos casos.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Fonte: Ascom/PMT

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *