Justiça nega recurso do MP-PI e mantém acusado de matar Aretha Dantas solto | Piauí

No dia 21 de janeiro deste ano, o magistrado determinou a soltura de Paulo Alves com a justificativa de que ele estava preso há 1 ano e 8 meses, o que representava um prazo superior ao determinado na prisão preventiva.

Em nova decisão essa semana, o juiz manteve o acusado em liberdade provisória, mediante aplicação de medidas cautelares. Ele também concedeu manter sigilo sobre o novo endereço de Paulo Alves, a pedido da defesa que alegou a necessidade de resguardar a integridade física do acusado.

O motorista Paulo Alves dos Santos foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado como feminicídio em razão de violência doméstica. A Polícia Civil apreendeu uma faca, possivelmente usada para assassinar a cabeleireira, e o carro do suspeito, onde foram encontradas manchas de sangue nos bancos dianteiros, nas portas da lateral direita do veículo e nas placas dianteira e traseira.

O corpo de Aretha foi encontrado no dia 15 de maio, com mais de 20 perfurações e marcas de atropelamento na Avenida Maranhão. Desde o dia seguinte, Paulo está preso como principal suspeito do crime. Em depoimento, segundo a delegada Luana Alves, responsável pelo caso, ele confessou.

Durante o processo, a defesa do acusado alegou insanidade mental e ele foi submetido a exame. A avaliação considerou que o réu tem sanidade mental e o laudo foi homologado pela Justiça a pedido do Ministério Público. A defesa, que pediu pela anulação do exame, teve o pedido negado.

Na decisão, o magistrado declarou que o exame foi suficiente para atestar a possibilidade de autoria e responsabilização do réu pelo fato criminoso. Atualmente, o processo encontra-se na fase de apresentação de memorais, quando cada parte faz um resgate do que foi dito durante o processo como forma de alegação final antes que a sentença seja decidida.


Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *