Harvard e outras universidades americanas cancelam aulas por causa de coronavírus

6
Compartilhar

Diversas universidades dos Estados Unidos começaram a cancelar suas aulas presenciais por causa do surto do novo cononavírus no país. Até o momento, o país tem cerca de 800 casos confirmados da doença.

A Universidade Harvard terá apenas aulas online a partir da volta das férias de primavera, que ocorrem de 14 a 22 de março. Até o final do semestre, que termina em maio, as aulas presenciais estão canceladas.

Harvard também proibiu viagens aéreas internacionais relacionadas a atividades universitárias, acadêmicas ou profissionais, assim com voos domésticos que não sejam considerados essenciais. A universidade também recomenda “enfaticamente” que se evitem viagens internacionais particulares e que se tome “extremo cuidado” em deslocamentos domésticos.

Encontros com mais de 25 pessoas devem ser evitados. Caso seja necessária alguma reunião assim, a universidade recomenda que os participantes fiquem a uma distância de 1,80m entre si (ou de pelo menos a uma distância de dois assentos vazios).

Outras universidades e faculdades americanas importantes também já cancelaram aulas presenciais, como a Universidade da Califórnia em Berkeley, a Universidade Columbia (Nova York) e o Amherst College (em Amherst, Massachusetts).

Harvard, uma das melhores e mais tradicionais universidades americanas, diz que o objetivo de cancelar aulas presenciais é “desdensificar” a escola: separar as pessoas tanto quanto possível a fim de conter a velocidade de propagação do vírus.

Professores e demais funcionários podem continuar a trabalhar nos campi, mas em breve esta recomendação também pode mudar.

Na última semana, a Universidade de Washington migrou seus 50 mil estudantes totalmente para cursos online. A Universidade Stanford disse que suas aulas não seriam presenciais.

A Universidade Columbia, em Nova York, cancelou as aulas de segunda e desta terça e disse que as que ocorreriam no resto da semana seriam ministradas remotamente. Também em Manhattan, a Universidade Yeshiva e a Hofstra University, em Long Island, cancelaram as aulas da semana.

Medida semelhante foi tomada pela Universidade de Princeton, que, a partir de 23 de março, as aulas seriam virtuais e que restringiria grandes reuniões no campus.

O Berklee College of Music, em Boston, determinou que estudantes, no retorno das férias de primavera, que estiveram em determinados estados e países só serão recebidos no campus após uma auto-quarentena.

Fonte: Folhapress

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *