FPF anuncia afastamento de árbitros de último jogo do São Paulo

0
Compartilhar

A Federação Paulista de Futebol (FPF) anunciou que afastou a equipe de arbitragem do último jogo do São Paulo, disputado ontem contra o Novorizontino e válido pelo Campeonato Paulista, que acabou em 1 a 1. Flavio Roberto Mineiro Ribeiro, de 24 anos, era o juiz da partida.

De acordo com a FPF, “foram identificados quatro erros capitais na arbitragem da partida: dois gols mal anulados e dois pênaltis não marcados, todos a favor do São Paulo Futebol Clube”. Os membros da equipe passarão por “reciclagem, com apoio psicológico, técnico e físico”.

A decisão ocorreu na manhã de hoje, e a equipe responsável pela partida “admitiu os erros e se desculpou por eles”. Por fim, a FPF disse lamentar as decisões dos profissionais e ressaltou que “erros crassos não serão admitidos”.

A partida ficou marcada por uma arbitragem contestada de Flávio Mineiro e seus auxiliares, que anularam de forma equivocada dois gols de Alexandre Pato no início do primeiro tempo e deixaram de marcar ainda dois pênaltis para o São Paulo.

Os gols do jogo saíram no segundo tempo: Higor Leite abriu o placar para o Novorizontino em contra-ataque, enquanto o garoto Brenner deixou tudo igual.
Pressão são-paulina

Ontem, horas depois da partida, o diretor-executivo de futebol Raí foi até a zona mista do estádio para fazer reclamações contra o juiz e avisar que medidas seriam tomadas com a Federação Paulista de Futebol (FPF).

“Não dá nem para falar que o VAR fez falta, porque foi uma atuação calamitosa do árbitro. Você faz pré-temporada, trabalha sério, jogadores se dedicam ao máximo e arriscam a própria integridade para reverter, mas essa atuação que não pode ser considerada profissional precisa ser observada. A FPF precisa observar isso. Essa inexperiência tem que ser levada em consideração. Foi um desrespeito ao torcedor e é uma vergonha”, disparou.

Ex-jogador e atual dirigente do clube, Diego Lugano também alfinetou a atuação de Flavio Mineiro. No Twitter, o uruguaio citou os erros como “fáceis de apitar”.

“Noite de bom futebol e má ‘sorte’. Anulação de dois gols muito legais. Fáceis de apitar. Dois pênaltis da mesma forma evidentes. Passa impressão que querem o VAR – e os coleguinhas do VAR empregados”, disse.

Fonte: Folhapress
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *