Flávio Nogueira Júnior pede para ser expulso do PDT para não perder o mandato

0
Compartilhar

O deputado estadual Flávio Nogueira Júnior, afastado do mandato para exercer o cargo de secretário de Estado do Turismo, pediu que a direção do PDT decida qual a posição em relação a ele e ao pai, deputado federal Flávio Nogueira, afastados de todas as decisões do partido. Flávio Júnior pediu a expulsão dos dois, par que possam se filiar a outro partido.

“Primeiro preciso que o PDT me expulse. Eles não querem me expulsar. Não posso mudar de partido (para não perder o mandato por infidelidade partidária). Fico constrangido porque o PDT me excluiu. Foi feita uma nova Comissão Provisória e nem sequer fui ouvido, escutado. Então aqueles municípios, que são 224, onde temos comissões provisórias, todos eles irão com a gente, com exceção de Teresina, onde a decisão é pessoal do meu amigo Evandro Hidd. Eu sou membro do diretório nacional e nem se quer fui ouvido”, reclamou o deputado, ontem (7), na Assembleia Legislativa.

Flávio Júnior participou da solenidade de efetivação no mandato do suplente de deputado Bessah (Progressistas), no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa, deputado themústsocles Filho (MDB).

Bessah que passa a ser deputado efetivo, assumindo a cadeira do decano Fernando Monteiro, que faleceu no dia 26 de dezembro, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, vítima de câncer.

O destino dos Nogueira, caso sejam expulsos do PDT, pode ser o Progressistas, mas somente depois .

Liminar – No dia 23 de outubro do ano passado, o Superior Tribunal Eleitoral (TSE) negou o pedido de liminar protocolado pelo deputado federal Flávio Nogueira para se desfiliar do PDT sem perder o mandato.

A decisão foi do ministro Edson Fachin, ao destacar que Nogueira descumpriu a orientação “fechada” do PDT de votação contrária à reforma da Previdência. Flávio Nogueira alegou que sofreu repreensões do partido após votar a favor da reforma, mesma punição aplicada a outros sete parlamentares que também votaram a favor da reforma.

Fonte: parlamentopiaui.com.br

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *