Firmino Filho defende lockdown rígido para reabertura da economia em Teresina

0
Compartilhar

O prefeito Firmino Filho acredita que a cidade pode iniciar a retomada das atividades econômicas a partir do próximo dia 7 de julho após  um lockdown mais rígido por, no mínimo, oito dias, para conter a disseminação do vírus, que nas últimas semanas vem apresentando uma curva de crescimento menor. Na última etapa da pesquisa sorológica, a taxa ficou em 17%, cenário mais positivo que outras fases da sondagem, quando o índice variou entre 31% e 91%.

Segundo o prefeito, a estabilidade da taxa de contágio, o chamado R-0 (R-zero) também é um indício de que a cidade já atingiu o pico da doença e pode começar a planejar sua reabertura a partir do próximo mês.

“Temos defendido o lockdown já há algum tempo para melhorar outros critérios necessários para a reabertura, como a taxa de internação e de mortalidade pela Covid, que ainda preocupam”, explica, ressaltando que também é essencial que tanto o município quanto o Estado possam concluir os investimentos nos hospitais de campanha instalados na capital para garantir mais leitos de UTI e de enfermarias.

Firmino ressaltou que vem discutindo o fechamento da cidade, ou lockdown, com o Governo do Estado, Ministério Público Estadual, Ministério Público do Trabalho, além dos setores produtivos da cidade, como comércio e indústria, e representantes de entidades sindicais e dos trabalhadores.

“Precisamos desse esforço final para ultrapassar essa fase de crescimento da doença. Ampliamos nossa capacidade de responder à crise, mas é muito importante que haja um pacto coletivo entre instituições e a sociedade para reforçar as medidas de isolamento social”.

A partir da experiência de outras cidades que retomaram parte de suas atividades econômicas, o prefeito Firmino Filho acredita que Teresina também tem condições de iniciar a retomada, oferecendo condições razoáveis de segurança para todos, sem o risco de um novo pico da doença após a reabertura.

“Tudo deve ser feito de forma coordenada, em fases e com forte engajamento da população”, reforça.

Da Redação
Fonte: Ascom/PMT

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *