Corinthians perde de 2 a 0 para equatorianos e se complica na Sul-Americana

O Corinthians foi surpreendido em plena Arena Corinthians e perdeu o jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana para o Independiente del Valle, por 2 a 0. A equipe equatoriana foi superior durante grande parte da partida e soube limitar as ações dos anfitriões.

O atacante panamenho Gabriel Torres foi o responsável pelos dois gols da equipe equatoriana. No fim da primeira etapa, aos 44 minutos, Torres tabelou com o meia Dájome e, cara a cara com Cássio, só teve o trabalho de deslocar o goleiro. Para fechar o marcador, aos 24 do segundo tempo, ele recebeu cruzamento perfeito de Alejandro Cabeza e só empurrou para o fundo da rede.

O Corinthians entrou mais uma vez em campo com estratégia cautelosa de Fábio Carille e, por isso, não pressionou os equatorianos no início de jogo. Pelo contrário, os corintianos sofreram um gol contra de Gil aos dez minutos, mas o VAR anulou após cinco minutos de análise.

O duelo de volta entre brasileiros e equatorianos ocorre na próxima quarta-feira, quando o Timão vai ter de encarar a altitude de 2.850 metros acima do nível do mar, no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito. Antes disso, o Corinthians enfrenta o Bahia, sábado, às 19h (de Brasília), pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Independiente del Valle surpreende na primeira etapa
A equipe equatoriana foi superior no primeiro tempo. Além de ir para o intervalo vencendo por 1 a 0, os comandados do espanhol Miguel Ángel Ramírez demonstraram um grande repertório quando tinham a posse da bola. Inclusive, chegou a abrir o placar aos 10 minutos, mas a arbitragem assinalou impedimento. O lado direito do Del Valle, com Dajomé e Preciado, conseguiu anular as investidas de Fagner, que pouco apareceu no setor ofensivo durante a primeira etapa.

VAR foi acionado três vezes somente no 1º tempo
O VAR foi acionado três vezes somente no primeiro tempo. A primeira vez serviu para salvar o Corinthians de sair perdendo logo no início de jogo. Sergova lançou Dájome nas costas de Fagner, ele cruzou e Gil marcou gol contra após defesa de Cássio. O bandeirinha deu impedimento, e o recurso de vídeo, quando acionado, confirmou o impedimento no início da jogada. Depois o VAR foi usado para analisar uma possível cotovelada de Dájome em Fagner, que sangrou na região da sobrancelha. Na revisão, o árbitro aplicou apenas o cartão amarelo. A terceira vez do VAR na primeira etapa foi no gol do Independiente del Valle. O auxiliar levantou a bandeira, alegando impedimento do atacante, mas o gol foi validado.

Fonte: Folhapress


Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *