Bolsonaro tem 55% de desaprovação e 39% de aprovação, aponta CNT

1
Compartilhar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) possui 55% de desaprovação e 39% de aprovação, de acordo com pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte), em parceria com o Instituto MDA, divulgada nesta terça-feira (12). Outros 5,4% dos entrevistados não souberam ou não responderam sobre a aprovação de Bolsonaro.

Na penúltima pesquisa CNT, feita em janeiro de 2020, havia um empate técnico sobre o desempenho pessoal do presidente Bolsonaro: 47,8% aprovavam e 47% desaprovavam naquela ocasião. Ainda em janeiro, 5,2% não responderam ou não souberam.

Avaliação do governo Bolsonaro

A pesquisa também questionou sobre a avaliação do governo Bolsonaro, que inclui toda a equipe ministerial e a máquina pública federal. Nesse recorte, a avaliação positiva do governo federal é de 32% – são os que acham ótima ou boa a administração federal.

Por outro lado, a avaliação negativa da gestão atingiu 43,4% (ruim ou péssima). Outros 22,9% acham o governo “regular” e 1,7% não souberam ou não responderam.

Na pesquisa anterior da CNT, feita em janeiro, a avaliação positiva do governo federal era de 34,5%, enquanto que a negativa, 31%. Em janeiro, 32,1% consideravam o presidente “regular” e 2,4% não responderam ou não souberam.

Coronavírus nos estados

Dois em cada três (69,2%) dos entrevistados aprovam a atuação do governo estadual no combate à pandemia do novo coronavírus, enquanto 26,8% desaprovam. A pesquisa aponta ainda que a atuação do governo federal na crise sanitária é aprovada por 51,7% e desaprovada por 42,3%.

Cerca de 67% dos brasileiros (dois em cada três) consideram que o isolamento social deve ser praticado por todos, independentemente de ser ou não do grupo de risco. Para 29,3%, só deve ser praticado pelas pessoas que fazem parte do grupo de risco, e 2,6% acreditam que não deveria existir isolamento social.

A pesquisa mostra que 24,3% afirmam confiar muito em relação as informações divulgadas pela imprensa sobre a pandemia, enquanto que 48,5% confiam pouco, e 25,2%, não confiam.

Mais da metade (61,9%) não deixaram de pagar alguma dívida por conta da crise – por outro lado, 37,7% dos brasileiros declaram que deixaram de pagar alguma dívida em função das consequências da pandemia.

Política

Cerca de 62% dos entrevistados consideram que as eleições municipais, previstas inicialmente para outubro, devem ser adiadas devido ao impacto da crise da covid-19, e 30,4% acham que devem ser mantidas.

A pesquisa revela, ainda, dados sobre a saída de Moro: 12% avaliam que, sem o ex-juiz da Lava Jato, o combate à corrupção no Brasil vai melhorar, 39,9% acham que vai continuar como está, e 39,7% consideram que vai piorar.

Já 51,8% são contrários às recentes manifestações contra o Congresso Nacional e contra o STF (Supremo Tribunal Federal); 28,8% são a favor e 10,8% não são nem a favor nem contra.

A CNT fez 2.002 entrevistas por telefone, entre 7 a 10 de maio de 2020, com respondentes de 494 municípios, de 25 Estados. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Fonte: r7.com
Foto: Marcos Correa/PR

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *