Artigo – Inexpressividade espiritual

0
Compartilhar

De acordo com Antônio Carlos Rossi Keller – todos temos sede de Deus porque todos temos sede de felicidade. Fomos criados por um Pai que nos ama com Amor infinito. Por isso, todos fomos criados para sermos felizes no tempo de nossa vida aqui na terra e depois por toda a eternidade. À luz da fé, sabemos que essa fonte de felicidade, que todos tanto desejamos, está em Deus, é o próprio Deus. Afinal a sede de felicidade é mesmo, em última análise, sede de Deus. Esta certeza nos é dada pela fé, verdade esta que dá verdadeiramente sentido à nossa vida. Quem faz esta descoberta revela ser portador de grande sabedoria. E dessa Sabedoria nos fala a leitura (Sabedoria 6,12-16): “Quem a busca desde a aurora não se fatigará”. Assim se louva essa Sabedoria, pela qual vale à pena deixar tudo para possuí-la. Os santos, só são santos, visto terem feito esta descoberta maravilhosa, pelo qual muitos, tudo deixaram. Santo Agostinho deixou mesmo escrito: “Que tarde te encontrei meu Deus. Meu coração andava inquieto e só em ti encontrou descanso”. Graças às orações e lágrimas de sua mãe, Monica, converteu-se aos 32 anos de idade.

Aproximam-se as datas em que a sensibilidade aumenta? Não. O mundo anda envolto em outras coisas. As coisas do espírito parecem destinadas aos homens de bom senso e sem ansiedade excessiva. Eis a realidade contemporânea. Sonhos chegam e na mesma medida se distanciam dos mais simples e esperançosos? Estão sempre à espreita os inescrupulosos mestres na arte do engano? Certo mesmo é o mergulhar em bom retiro e uma boa viagem. Restaurar forças pra uma nova jornada prestes a começar. O mundo midiático anda imerso em inexpressividade espiritual. A máquina sistemática do Brasil no que diz respeito à mídia continua o seu trabalho de tentar retirar Cristo Jesus do Universo. Querem a todo custo destruir a cultura judaica cristã. A todo finalizar de ano se entristecem por não conseguirem o seu intento? Quinta e sexta-feira milhões de pessoas irão às Missas e Cultos realizados em comemoração ao Nascimento de Cristo Jesus. Eis a grande certeza!

O que hoje reverbera o mundo? Relatos de crimes, assaltos, assassinatos, roubos e furtos, a mercadologia em torno da “indústria” da disseminação do mal. O que provoca? Desconfianças, medos, pessoas constantemente tomando antidepressivos e remédios pra conseguir dormir. E não existe alternativa? Lógico que existe. A TV Cultura e TV Brasil são o exemplo claro do que devia ser a televisão brasileira. E as emissoras de rádio? Acompanham o modismo de disseminar o mal. Não existe também alternativa? Lógico. Basta querer. O aplicativo Rádios sintoniza as melhores emissoras de rádio do mundo. As rádios americanas neste momento não cessam de tocar músicas enfatizando o lado bom do ser humano ao reconhecer o natal como Nascimento de Cristo Jesus. É outro Mundo?

O mundo é um só e Deus está no controle de Tudo. Permanece feliz quem pensa e age assim; o bem é feito constantemente e ninguém cede espaço pro mesmo. Enquanto a política detiver a insensatez de não reconhecer o criador nada se modificará! O marasmo continuará. O fetiche europeu da “morte de Deus” nunca logrou e nem logrará êxito. A descrença não cresce a cada dia? Quem proclama isso diária e erroneamente? Quem tem interesses econômicos e ainda acredita no lucrar contínuo de um prenúncio de inexpressividade espiritual. O ter, o prazer e o poder jamais saciarão completamente o Ser!

Josenildo Melo foi estudante de Direito e Filosofia. É Bacharel em Serviço Social e Jornalista

Postagens Relacionadas