Argentina supera expulsão de Messi e Chile para ficar com o terceiro lugar

Mesmo sem contar com o brilho de Lionel Messi durante 90 minutos, a Argentina não teve dificuldade para vencer o Chile por 2 a 1 hoje (6) à tarde, na Arena Corinthians, em São Paulo, em sua despedida da Copa América. Os gols foram marcados por Agüero e Dybala, ainda no primeiro tempo. O chile descontou no segundo tempo com Vidal.

Com o resultado, a equipe do técnico Lionel Scaloni garantiu a terceira colocação no torneio continental. O triunfo também serviu como uma revanche, pois os argentinos tinham perdido as últimas duas decisões do torneio para os chilenos.

Os dois gols argentinos saíram ainda no primeiro tempo, quando Messi estava em campo. Agüero recebeu do camisa 10 e fez o primeiro. Pouco depois, Dybala, com categoria, também marcou o seu. Os chilenos descontaram com Vidal, de pênalti, após consulta do VAR, na etapa final.

Atuação da Argentina
Desde os primeiros minutos, a Argentina mostrava mais disposição. Bem organizada e com a categoria de Messi a seu favor, o time não teve dificuldade para construir a vantagem no primeiro tempo. Mesmo com a expulsão do camisa 10, após desentendimento com Medel ainda no primeiro tempo, a equipe teve tranquilidade para administrar o resultado e esperar o erro do adversário para atacar.

Sem Messi, o time perdeu a qualidade no passe e nas criações das jogadas. Assim, permitiu a melhora do rival, que marcou o seu e chegou a buscar o empate.

Atuação do Chile
O time bicampeão da Copa América estava perdido em campo. Desorganizado e pouco motivado, o Chile sofria para chegar ao ataque e não conseguia parar Messi e companhia. Para complicar ainda mais a situação, perdeu Alexis Sanchéz, lesionado, ainda no primeiro tempo.

A equipe teve mais disposição no segundo tempo. Na base da raça e com o apoio de parte da torcida, os chilenos passaram a chegar mais ao ataque. O gol saiu em cobrança de pênalti de Vidal. Depois, faltou um pouco mais de organização para empatar.