Águas de Teresina amplia rede de esgoto em 60% e quer universalizar água até 2020

Ao apresentar hoje (5) um balanço dos serviços prestados à população de Teresina em audiência pública na Comissão de Meio Ambiente e Defesa do Consumidor, o presidente da Águas de Teresina (Aegea), Cleyson Jacomini, disse que a rede de esgotos da capital passou de uma cobertura de 19% para 31% da população, registrando um crescimento de 60% nos últimos dois anos. Ele afirmou que a empresa já investiu R$ 600 milhões na melhoria do abastecimento de água e do saneamento básico.

A reunião da Comissão de Meio Ambiente, que foi presidida pelo deputado Henrique Pires (MDB), atendeu requerimento apresentado pelo líder do Governo, deputado Francisco Limma (PT), e contou com a presença dos deputados Franzé Silva (PT), Elizângela Moura (PCdoB) e Cícero Magalhães (PT), além de representantes da Prefeitura de Teresina, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção do Piauí, e do Sindicato dos Urbanitários do Piauí.

No início da audiência pública, o presidente da Arsete (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Teresina), coronel Edvaldo Marques, disse que o órgão está acompanhando a execução do contrato de subconcessão dos serviços de abastecimento de água e esgotos assinado pela Aegea e garantiu que todas as metas programadas vêm sendo cumpridas pela empresa.

Em seguida, Cleyson Jacomini fez a apresentação do balanço dos dois primeiros anos de atividades da Aegea. Ele disse que a empresa fez mais de 80 intervenções visando reduzir os vazamentos na rede de água e garantir a estabilidade no abastecimento da população. Em relação às perdas provocadas por esses vazamentos, Jacomini declarou que elas diminuíram de 64% para 44,9% da produção, evitando que 1 bilhão de litros de águas não chegassem às moradias dos teresinenses. A previsão, segundo ele, é de que a universalização no abastecimento de água em Teresina ocorra até o final do próximo ano.

Clayson Jacomini afirmou que, dentre outras coisas, a empresa investiu na melhoria e ampliação das Estações de Tratamento de Água e de Esgoto, substituiu 53 mil hidrômetros e melhorou o fornecimento de água durante os meses mais quentes do ano, de setembro a dezembro. “Atualmente, 7.200 famílias são beneficiadas com a tarifa social, tendo redução de 50% no valor de suas contas”, declarou ele, assinalando que houve queda de 50% no número de reclamações dos consumidores.

De acordo com Clayson Jacomini, a melhoria no serviço de esgotamento sanitário fez com que não surgissem mais os chamados aguapés do rio Poty. Ele acrescentou que, apesar disso, Teresina continua tendo a menor rede de esgoto do Nordeste e que a Aegea está trabalhando para que 90% dos teresinenses sejam beneficiados com este serviço nos próximos anos.

Cleyson Jacomini anunciou que até o final deste ano a Aegea pretende construir a Estação de Tratamento de Esgotos do bairro Tancredo Neves, na zona Sudeste, bem como duas adutoras para beneficiar moradores das zonas Norte/Nordeste e Leste com melhoria no abastecimento de água. Ele concluiu assinalando que uma pesquisa confirmou que 85% dos teresinenses estão satisfeitos ou muito satisfeitos com os dois primeiros anos de atividades da Aegea. Em seguida, Clayson Jacomini disse que estava à disposição dos parlamentares e de outros interessados para responder aos questionamentos.


Comments

  • Diante do quadro que se mostrou evidente à chamada “audiência pública” realizada na casa legislativa estadual, com referências a ser a casa do povo, ontem foi exatamente o que faltou, o povo para ouvir e debater a respeito das informações dadas pelo representante da “Àguas de Teresina” sobre os dois anos da concessão dos serviços do sistema de àguas e esgotos de parte da capital. na chamada “audiência pública”, também não se teve participação dos conselhos fiscalizadores das áreas profissionais em química e saneamento, CRQ E CREA, respectivamente. Povo não ouvido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *