Neto de Neguinho da Beija-Flor morre em baile funk no Rio

0
Compartilhar

Gabriel Ribeiro Marcondes, 20, neto do sambista Neguinho da Beija-Flor, morreu na madrugada de ontem após ele e outros três homens serem baleados em um baile funk que acontecia no Morro da Bacia, no distrito de Miguel Couto. Participantes da festa trocaram tiros com a polícia, que disse que o evento não tinha autorização.

Gabriel chegou a ser socorrido por policiais do 20º BPM (Nova Iguaçu) para o Hospital da Posse, mas não resistiu.

Procurada, a PM informou que policiais militares do Batalhão de Mesquita estavam em patrulhamento pelo bairro Ambaí, em Nova Iguaçu, quando receberam denúncia sobre um evento não autorizado que estaria começando a bloquear uma rua. Durante deslocamento da viatura, os policiais tentaram abordar dois homens em uma moto na Avenida Henrique Duque Estrada Meyer, mas a dupla fugiu em direção ao evento.

“No local indicado, as equipes foram recebidas por disparos de arma de fogo e ocorreu reação. Após cessar a situação, quatro indivíduos foram encontrados feridos e houve apreensão de uma pistola calibre 9 mm, dois revólveres calibre 38, duas granadas, munições, uma réplica de fuzil, três rádios comunicadores e drogas. Os feridos foram socorridos ao Hospital Geral de Nova Iguaçu”.

O caso foi registrado na delegacia da região.

Três mortos e um ferido
Os quatro homens atingidos, entre eles Gabriel, deram entrada no hospital. Três deles chegaram mortos à unidade e foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) para reconhecimento.

O segundo homem baleado foi identificado como Matheus da Silva Gomes. Não há ainda informações sobre a terceira vítima atingida.

Já Rogério Bezerra, 20, passou por uma cirurgia na barriga e está sob custódia, segundo informações da prefeitura de Nova Iguaçu.
“Quis saber pouco”, diz Neguinho

À TV Globo, Neguinho da Beija-Flor disse apenas que Marcondes estava em um baile funk quando foi baleado e que não quis saber o que ocorreu.

“Quis saber pouco. Ouvi apenas que foi ao local montar uma tenda. Não sei o que houve”, disse Neguinho.

Nas redes sociais, a escola de samba que pertence ao Grupo Especial do Rio lamentou o ocorrido.

“Como uma escola de samba que age coletivamente como uma família, a azul e branco acolhe com carinho o músico e aqueles que, como Neguinho, vivenciam o luto e a dor dessa despedida inesperada e prematura. Nossa agremiação espera que as circunstâncias do episódio que vitimou Gabriel sejam esclarecidas e expressa o desejo de dias melhores para os cidadãos da Baixada Fluminense”.

Fonte: Folhapress
Foto: Manu Scarpa/Brazil News

Postagens Relacionadas
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *